top of page

PRESTA ATENÇÃO:


Temos rodado muito, compartilhado um bocado de prosa boa e, cada vez mais, absorvido perguntas, pensamentos e outras dúvidas. Se existe tendência no artesanato, quanto e como cobrar, quem dita à moda, os futuros das mídias e da educação artesanal e tantos outros falatórios que só estão enriquecendo nossos saberes sobre o nosso universo do artesanato. Somos da porção da sociedade insistente no quesito que se existe uma verdade absoluta, já diria Sócrates, é que a gente sabe que nada sabe e que temos muito para aprender. Mas de todas as perguntas ditas, feitas e comentadas, as recorrentes são as que tratam da identidade do artesão e as diferenças entre artesanato, arte e trabalhos manuais. Peter Paiva, na sua conversa no PodCraft, citou o artesanato como sendo “arte nato”, porque é originário daquela região. Eu nunca tinha pensando sob esse prisma. Nunca. Pode? Elementar! E isso ficou martelando na minha cabeça. Curiosa que sou e sem o menor pudor de assumir o que eu não sei, fui lá buscar as origens das palavras e ver se era isso mesmo. É, mas também é um bocado de outras coisas. Viva o Google. Então, sem pretensão de chegar a lugar algum, sai buscando definições. Logo de cara, na página de abre, achei:


“Artesanato, substantivo masculino 1. arte e técnica do trabalho manual não industrializado, realizado por artesão, e que escapa à produção em série; tem finalidade há um tempo utilitária e artística. 2. conjunto das peças de produção artesanal.”

Lá na Wikipédia, em inglês, eles contam “Handcraft (Artesanato) – “Um artesanato, às vezes expresso como artesanal, é uma variedade de tipos de trabalhos em que objetos úteis e decorativos são feitos completamente à mão ou usando apenas ferramentas simples. É um setor tradicional e se aplica a uma ampla gama de atividades criativas e de design relacionados ao fazer coisas com as próprias mãos e habilidades, incluindo o trabalho com tecidos, materiais moldáveis ​​e rígidos, papel, fibras vegetais, etc.” O texto da Wikipédia também diz que não pode ter uso de máquinas para ser artesanato. Será? Já no site “Origem da Palavra” é explicada que “essa palavra vem do latim ars, que entre outras coisas significava ‘capacidade de fazer alguma coisa’”. Ars passou mais tarde a ‘arte’. Através do Italiano artigiano, temos ‘artesão’, aquele que exerce atividades mecânicas ou decorativas. O sentido mais em uso atualmente é ‘aquele que faz manualmente, por sua conta, objetos para uso doméstico’.” Naturalmente que artesão é outro derivado. No site https://www.merriam-webster.com/dictionary/craft podemos ler uma série bem interessantes de versões sobre a palavra Craft (sim, Canal Craft vem daí!), tradução livre para o artesanato. Procure também sobre a palavra art. Linha tênue, né não? Nada preciso, sabemos, mas fica a dica: se inscreva no site, porque eles mandam palavras em inglês para aprendermos algo novo diariamente! Sobre o significado de Arte, o site https://www.dicionarioetimologico.com.br/arte/ conta: “Origem da palavra arte vem do latim ars, que significa literalmente ‘técnica’, ‘habilidade natural ou adquirida’ ou ‘capacidade de fazer alguma coisa’. Com o passar do tempo, o termo latino ars passou a designar um tipo de técnica relacionada à produção de objetos com beleza estética, ou aquilo que é esteticamente agradável aos sentidos humanos. Surgia assim o conceito da ‘arte’. A partir do termo ars, surgiram muitas outras palavras relacionadas com a arte, como ‘artista’ ou ‘artesão’, este último derivado do italiano artigiano, que significava ‘aquele que faz algo manualmente’. A arte é qualquer atividade humana ligada à estética, feita a partir de emoções, percepções e ideias, com o objetivo de estimular o interesse ou intrigar outras pessoas, além de criar uma discussão crítica sobre alguma coisa”. Eu acrescentaria que pode ser ou não artesanal. Mas só acho.


No site https://conceito.de/artesanato é dito que “O artesanato são a arte e as obras dos artesãos. Um artesão, por outro lado, é a pessoa que realiza trabalhos manuais, sem recorrer a máquinas nem a processos automatizados. Não existem, por conseguinte, duas peças de artesanato exatamente iguais.” Cristina Bottallo cita a questão dos trabalhos manuais na conversa do PodCraft. Pois bem, fui buscar referencias para pensar mais sobre a conversa e achei que no site https://artesanato.culturamix.com/curiosidades/o-que-sao-artes-manuais-para-que-servem, eles esclarecem: “As artes manuais também conhecidas como artesanato tem como base a criação de peças por processos completamente manuais sem a interferência de máquinas. Algo bastante interessante é o fato de que, mesmo que um artesão tenha a intenção de replicar uma peça, não terá cópias exatamente iguais. O processo manual atribui particularidades a cada item produzido”. Vago. Mas concordo.

Mas sou uma pessoa de fatos também. Uma regra (até mesmo para quebrá-las!) é sempre o melhor norte. Desde 2015, temos uma lei (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13180.htm) que regulamenta o artesão como profissional – ah, amiga leitora, a profissão mais antiga do mundo só agora foi regulamentada aqui no Brasil. Vai entender, mas é essa é outra história para contar e pensar. Logo de cara, no primeiro paragrafo, a lei 13.180 diz a que veio: “Art. 1º Artesão é toda pessoa física que desempenha suas atividades profissionais de forma individual, associada ou cooperativada. Parágrafo único. A profissão de artesão presume o exercício de atividade predominantemente manual, que pode contar com o auxílio de ferramentas e outros equipamentos, desde que visem a assegurar qualidade, segurança e, quando couber, observância às normas oficiais aplicáveis ao produto.”


 

Pausa para ler a portaria Nº 1.007-SEI, de 11 de junho de 2018, que institui o Programa do Artesanato Brasileiro, cria a Comissão Nacional do Artesanato e dispõe sobre a base conceitual do artesanato brasileiro. http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/34932949/do1-2018-08-01-portaria-n-1-007-sei-de-11-de-junho-de-2018-34932930

 

No portal do governo, http://www.artesanatobrasileiro.gov.br/pagina/15, Programa do Artesanato Brasileiro – PAB –, explica que “artesanato é toda produção resultante da transformação de matérias primas em estado natural ou manufaturada, através do emprego de técnicas de produção artesanal, que expresse criatividade, identidade cultural, habilidade e qualidade.”. Vale ler também a página que explica a parte das leis: http://www.artesanatobrasileiro.gov.br/pagina/36. Lá conta que cada Estado Brasileiro tem suas peculiaridades a respeito do artesanato e pode ser visto como é. Interessante sabermos sobre como é pensado na sua terra, o lado nato da arte... Enfim, pesquisei li, aprendi e continuei na dúvida. Viva! E sigo na certeza de que eu tenho um longo caminho pela frente. Afinal, eu sei que nada sei!


Bete Monta




96 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page